EQUIPE BRASILEIRA DISPUTA PELA PRIMEIRA VEZ TORNEIO INTERNACIONAL EM CONTINENTE ASIÁTICO.


Pela primeira vez em toda história, uma equipe brasileira participou de um torneio internacional no continente Asiático. Os atletas do São Paulo DC viajaram no final do mês de Maio para a longínqua cidade de ULAN BATOR, capital da Mongólia, para disputa do ULANBAATOR CHALLENGER. O primeiro Challenger internacional naquele país.

Qualificado pelos ótimos resultados obtidos nos anos de 2015 e 2016, a equipe paulista participou do torneio mongol em que figuravam 6 dos 10 melhores equipes do mundo. Dentre elas as equipes de Novi Sad (Sérvia), Ljubliana (Slovenia), Liman (Sérvia), Townsville (Austrália), Amsterdan (Holanda), Malaga (Espanha), dentre outras.

O evento aconteceu na praça principal da cidade, onde estão as famosas estátuas de Gengis Khan e Marco Polo. Conhecido ponto turístico mundial. Apesar da organização impecável, com ótimo suporte aos atletas, os juízes que foram convidados para participara tiveram grandes dificuldades para se adaptar a nova modalidade olímpica, ainda desconhecida no país.

Após o sorteio das chaves, a equipe São Paulo DC ficou no mesmo grupo que a equipe “sensação” da Sérvia da cidade de Liman, além da forte equipe Australiana de Townsville e uma equipe local da cidade de UlanBator. A equipe paulista venceu seu os confrontos contra Austrália e Mongólia, mas sucumbiu diante da equipe Sérvia (que ao final restou campeã do torneio). Mesmo assim, classificou-se para as quartas de final, quando teve de enfrentar a equipe numero 1 do mundo, da cidade de Novi Sad na Sérvia. Derrota por 15-13 em um jogo thriller, definido por muitos como o melhor do torneio.

“Me impressionou positivamente, a estrutura e organização incrível. Muito legal a mistura de times de vários países, inclusive da Coreia no Norte, essa interação foi muito positiva, manteve o nível do torneio altíssimo” afirmou Luiz Felipe Soriani, atualmente o atleta ranqueado como número 1 do Brasil, e integrante da equipe São Paulo DC, que participou do torneio. Além do craque paulista, ainda compuseram o quarteto, o atleta William Evangelista, Douglas Gorauskas e Ismar Vale Neto.

O projeto Drible Certo no Mundo 2 é aprovado pela Lei de Incentivo ao Esporte da Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo, patrocinado pela Wheaton Brasil, com apoio Havan, e realizado pela Associação de Basquete de Rua de São Paulo – ABRSP.


DESTAQUES
RECENTES